como criar um e-commerce

E-Commerce   23/05/2019

Guia de

como criar um e-commerce

para iniciantes

A dúvida do momento é: como começar a empreender na Internet, uma vez que todos os clientes estão nela? Ou quais são os processos que não podem ficar de fora?

Tudo o que você precisa saber sobre lojas virtuais, você vai encontrar nesse guia de como criar um e-commerce para iniciantes. Saiba por onde começar, quais os processos mais importantes e conheça um pouco mais sobre o mundo do e-commerce.

 

O crescimento do comércio eletrônico no Brasil deixou de ser uma surpresa.

O brasileiro tem se adaptado a essa nova rotina de ligar o computador para fazer compras. Tornou-se comum comprar roupas, alimentos, eletrônicos, produtos no geral pela internet.

Existem vários motivos para o e-commerce ser comum no mundo, especialmente em território brasileiro. Você sabe por quê?

  • O consumidor está cada vez mais conectado
  • As pessoas estão pegando confiança nas lojas online
  • O comércio está se adaptando à tecnologia
  • Simplicidade

Para você conseguir abrir a sua própria loja online e começar a vender seus produtos, é necessário conhecer algumas coisas importante para que imprevistos indesejados apareçam em um futuro muito próximo ou até mesmo distante.

Para isso não acontecer separamos alguns conceitos importantes para você entender como funciona esse universo extenso que se chama e-commerce.

 

Conceitos básicos de como criar um e-commerce e modelos de negócios

 

Todas as transações que acontecem na Internet são chamadas de e-commerce, abreviação de “eletronic commerce” (comércio eletrônico, em tradução livre).

Um dos segmentos mais comuns e populares envolvem a compra e venda online. Mas é importante saber que o e-commerce vai muito além disso.

Existem muitos agentes que podem envolver uma transação online. É a combinação de clientes, empresas fornecedores e agências governamentais.

O comércio eletrônico está expandindo a cada instante e teve um crescimento considerável desde que a Internet foi liberada para todos em 1987. Todos os limites geográficos e de tempo foram eliminados para facilitar e agilizar as operações e reduzir os custos.

Caso você ainda não tenha definido o tipo de produto/serviço que vai oferecer online, saiba para quem você pode oferecer.

 

Business-to-Consumer (B2C)

 

Os negócios B2B são aquelas transações que ocorrem entre uma empresa (indústria, distribuidor ou revenda) e o público final. Essa é a transação mais comum dentro do comércio eletrônico, é a compra e venda de mercadorias pela Internet.

Muitas empresas e pequenos empreendedores possuem uma loja virtual que age como um ponto de venda. Existem aqueles possuem loja física e outros que possuem apenas o seu site.

Os consumidores acessam os sites, escolhem os produtos que desejam comprar e depois de alguns cliques, terminam a compra que será entregue em poucos dias no endereço determinado.

Um dos fatores que tem influenciado o impulsionamento das lojas virtuais tem sido as múltiplas possibilidades de pagamento. Os consumidores conseguem pagar por boleto, cartão de crédito e débito, transferências, com suas contas de sites especializados em pagamento e até mesmo com moedas eletrônicas.

M-commerce

M-commerce é a abreviação de “mobile commerce” (comércio móvel, em tradução livre). Você pode pensar no M-commerce como uma subdivisão do B2C.

O rápido avanço e popularidade dos dispositivos móveis com fácil acesso à Internet abriu grandes possibilidades no mundo do e-commerce para os varejistas e clientes.

Tudo que envolve o comércio pelos celulares, pode ser definido como um M-commerce.

Quer um exemplo? Você pode comprar bilhetes aéreos, para cinema, peças de teatro shows, ingressos para eventos esportivos, bilhetes de trem, praticamente todos os tipos de ingressos podem ser reservados ou comprados a partir de aplicativos móveis ou em sites adaptados para celulares.

Ao invés de receber um papel ou imprimir, os compradores podem baixar uma versão eletrônica do bilhete que pode ser usado no lugar do papel. Dessa maneira você pode reduzir drasticamente as filas compridas e demoradas para a compra de bilhetes.

 

F-commerce

 

F-commerce é a abreviação de “Facebook commerce” (comércio pelo Facebook, em tradução livre).

O popular site de relacionamentos disponibiliza sua plataforma para que empresas de todos os tamanhos e segmentos possam comercializar seus produtos/serviço para um público selecionado.

Essa plataforma é um jeito diferente de fazer negócios e oferece para os clientes um canal alternativo de compra, enquanto os usuários navegam tranquilamente pela sua rede social e interage com seus amigos e marcas preferidas.

Muitos usuários acessa o seu Facebook por meio dos seus dispositivos móveis e empresas podem cadastrar tudo aquilo que vendem e facilitar para os seus clientes.

Apesar da popularidade do Facebook e desse canal de vendas alternativo, ele não exclui a existência de um site ou uma loja virtual. Ele apenas complementa e é um grande canal de divulgação.

 

Business-to-Business (B2B)

 

Enquanto os negócios B2C são transações feitas entre negócios e clientes finais, os negócios B2B representam todas as negociações envolvidas de negócios para outros negócios.

Ambas as partes são empresas, fabricantes, comerciantes, varejistas. Ou sejam, englobam o mundo dos negócios.

Boa parte dessas negociações são automatizadas. Sabe quando um fabricante precisa de um determinado tipo de peça para concluir sua produção?

Antes da existência do e-commerce ele precisaria fazer uma estimativa de quantas peças precisaria comprar para durar toda a produção. Agora, as compras podem ser automatizadas, ou seja, os inventários podem ser feitos automaticamente e, quando o número de peças estiver acabando, um novo pedido é enviado imediatamente para o fornecedor.

Junto com a automatização dos pedidos, os sistemas podem realizar um acompanhamento de preço no mercado e buscar o fornecedor que oferece as melhores condições de pagamento.

 

Consumer-to-Consumer (C2C)

 

Os negócios C2C é aquele modelo de negócio que ocorre entre dois consumidores. Com a Internet esse tipo de comércio tornou-se bem popular. Tradicionalmente, esse tipo de negócio é feito em sites que agem como intermediário entre os dois consumidores e tende a proteger ambas as partes de fraudes.

Grandes exemplos de transações C2C são os sites como o Mercado Livre, eBay, Estante Virtual e muitos outros.

Agora que você sabe os tipos de transações que englobam o termo e-commerce, vamos conhecer as dicas para você montar sua própria loja virtual e comercializar produtos para empresas ou consumidores finais.

 

Os seis passos de como criar um e-commerce para iniciantes

 

Se você está sonhando em ter a sua própria loja virtual, chegou a hora de conhecer o caminho que você deve percorrer para não esquecer de fazer nada!

O caminho parece curto, mas ele é bem trabalhoso e tem detalhes que pode passar despercebido para qualquer um, até mesmo profissionais que trabalham com isso há anos.

Os seis passos que você precisa dar para criar o seu próprio negócio online são:

  1. Decida o seu nicho de atuação
  2. Escolha em dropshipping ou em ter seu próprio estoque
  3. Escolha o nome do seu e-commerce, registre o seu domínio e crie e-mails profissionais
  4. Defina os produtos que você vai vender
  5. Estruture a sua empresa
  6. Divulgue a sua loja virtual para o mundo!

Pegue a sua caneta e papel, ou seu tablet, e prepare-se para anotar todos os passos importantes para criar uma loja virtual!

 

Passo um: decida o seu nicho de atuação

 

Lembra o nosso primeiro tópico? Você vai vender produtos para clientes finais ou para empresas?

Você precisa decidir o nicho que vai atuar e o tipo de produto que vai oferecer em seu e-commerce para que ele funcione e alcance bons resultados.

Muitos empreendedores iniciantes não pensam em um nicho específico e acabam se perdendo na hora de cadastrar os produtos e até mesmo durante a construção da identidade do comércio.

Não defina o seu nicho pois acha a ideia divertida e “acha” que ela vai dar muito certo. Quando você define um nicho de atuação precisa saber que ele pode afetar

  • os números das vendas
  • o esforço necessário para dar assistência ao cliente
  • as chances do cliente voltar, comprar novamente e ser fiel à sua loja

Existem muitos fatores que podem influenciar qualquer um dos três pontos acima. Por isso é necessário levar em consideração o preço dos seus produtos.

Comece em um nicho que não tenha uma alta competitividade com marcas que já são consolidadas no mercado. Construa primeiro a sua fama e depois, trabalhe para ficar com uma boa fatia do mercado.

 

Passo dois: Escolha em dropshipping ou em ter seu próprio estoque

 

Depois que você decidir qual o nicho de atuação que você quer trabalhar (roupas, alimentos, brinquedos, eletrônicos, entre tantos outros), você precisa decidir como vai funcionar o seu estoque.

Você vai armazenar o seu próprio estoque, uma opção que vai exigir espaço e até mesmo um gasto maior para manter tudo organizado em um único espaço; ou vai preferir o dropshipping?

 

O que é dropshipping

 

O dropshipping é bem simples. Ele basicamente é um processo para quem não tem estoque, mas oferece o estoque de um fornecedor parceiro. Não entendeu?

Digamos que você possui uma loja de martelos. Um comprador faz um pedido de compra, você enviar esse pedido para um fornecedor parceiro que possui um estoque de martelos e ele envia o produto em nome da sua loja para o comprador.

como criar um e-commerce

Não ter estoque têm as suas vantagens:

  • Você não precisa investir capital comprando os itens antecipadamente
  • Você pode oferecer mais itens para vendas e não depender de um estoque limitado
  • Você não gasta dinheiro com espaço para o estoque, o que significa que você pode começar sua loja virtual em casa
  • Você não precisa se preocupar com embalagens, contagem de estoque nem com correios

Uma coisa é certa, com o dropshipper qualquer pessoa pode montar sua loja virtual.

Existem algumas desvantagens também:

  • Você não pode garantir que nada vai dar errado, inclusive o seu cliente receber um produto totalmente defeituoso
  • Você pode ter dores de cabeça para trocar produtos, caso necessário
  • Você não vai conseguir enviar itens exclusivos e personalizados para os seus clientes com a identidade da sua marca

Uma coisa você não pode tirar da sua cabeça: você está começando uma nova loja, uma nova marca. Você precisa criar uma ligação de confiança com os seus clientes, caso contrário, seu negócio pode ir por água abaixo.

Caso você escolha o dropshipper leve em consideração:

  • Ofereça devoluções apenas para itens defeituosos e com um prazo de tempo curto
  • Acompanhe sempre o processo de devolução, inclusive com os seus fornecedores
  • O fornecedor apresentou casos seguidos de produtos defeituosos? Não hesite em trocar de fornecedor.

 

Manter um estoque é a melhor opção?

 

Depende muito. Principalmente se você tem orçamento para isso.

Uma das grandes vantagens em ter um estoque é que você pode oferecer para os seus clientes a melhor experiência de compra possível.

Tornar o recebimento de um produto algo perfeito e inesquecível.

Clientes infelizes geralmente não reclamam, eles apenas não compram novamente na sua loja.

Clientes felizes geralmente compartilham sua aquisição para o mundo pelas suas redes sociais, elogiam e indicam a sua marca para seus amigos, familiares, seguidores. Além do mais, as principais vantagens em ter um estoque próprio são:

  • Menor tempo de entrega
  • Produtos bem embalados e personalizados com a sua marca
  • Você sabe o estado do produto antes dele ser enviado para os clientes
  • Melhores margens de lucro, uma vez que você pode fazer uma compra mínima de produtos e baixar o seu valor.

Problemas sempre podem surgir, mas você tem maior controle na solução dos problemas quando eles aparecerem.

 

Passo três: Escolha o nome do seu e-commerce, registre o seu domínio e crie e-mails profissionais

 

Esse é um dos passos mais importantes para uma loja virtual!

Escolher o nome é fundamental e se você não for cuidadoso, pode acabar atrasando a criação da sua loja virtual.

Escolher o nome de um negócio pode te deixar obcecado. Você faz listas e mais listas, procura referências, conversa com amigos e até mesmo desconhecidos, pesquisa na Internet e parece que o processo nunca tem fim.

É claro que existem aqueles empreendedores que já possuem o nome antes mesmo de definir o nicho de mercado, mas são raros os casos.

Para você não atrasar o seu projeto, coloque um prazo para criar o nome do seu negócio.

Digamos que você tenha um prazo de 1 a 2 semanas para concluir essa etapa e dar continuidade com os próximos passos.

Precisa de algumas dicas? Vamos lá:

  • Escolha um nome fácil de pronunciar, ou que o seu público pronuncie facilmente
  • Crie um nome totalmente original e único
  • Escolha um nome com um domínio.com.br ou domínio.com disponível (inclusive com domínio nas redes sociais disponível também)
  • Evite nomes muito longos (uma a três palavras no máximo)
  • Passe longe de nomes comerciais demais
  • Não coloque números em seu nome
  • Deixe de lado os nomes que façam referência a produtos específicos (isso vai te impedir de crescer e expandir o seu nicho no futuro)

 

Passo quatro: Defina os produtos que você vai vender

 

Você já escolher seu nicho, seu nome comercial, agora você precisa definir os produtos que vai disponibilizar em seu site.

Quer definir os produtos que você vai oferecer em seu site? Faça uma prova social.

Prova social é uma espécie de gatilho mental ou uma técnica de persuasão de vendas. Ela é utilizada para aumentar a conversão de um site.

Em outras palavras, uma prova social é a opinião de pessoas reais sobre um determinado produto. Um depoimento, um relato e até mesmo uma experiência podem ser consideradas uma opinião.

Para definir seus produtos, você pode entrar em sites varejistas e ver os itens mais comprados, as opiniões das pessoas e fazer uma lista com os produtos.

Faça uma pesquisa de mercado e saiba o que as pessoas gostam.

Caso você tenha um outro produto em mente, arrisque, mas lembre-se de que o produto tem os seus diferenciais e vai agradar um nicho do mercado.

Depois que você encontrar os produtos que vai vender em seu site, vá em busca de um fornecedor de confiança. E lembre-se: cuidado sempre!

 

Passo cinco: Estruture a sua empresa

 

Você deve começar estruturando a sua empresa online. Você pode fazer tudo sozinho.

  • Crie um site completo e atrativo
  • Cadastre todos os seus produtos e adicione uma descrição matadora junto com fotos reais dos produtos.

Você pode fazer isso com uma empresa de confiança e que vai te oferecer todo o suporte necessário.

Depois que você tiver um website, ter encontrado seus fornecedores, cadastrou seus produtos, chegou a hora de pensar em seu negócio.

Ele deve funcionar como um indivíduo autônomo, separado de você proprietário.

Isso significa que tudo o que acontece com a empresa, todos os problemas, todos os ganhos, absolutamente tudo deve ser tratado sob os cuidados da empresa, você vai administrar e resolver tudo em nome dela.

Procure todas as informações necessárias sobre impostos, impostos de vendas, impostos de importação (caso você trabalhe com estoques). Tudo!

É fundamental montar um negócio dentro da lei desde o início para não ter problemas no futuro.

 

Passo seis: Divulgue a sua loja virtual para o mundo!

 

Você tem tudo pronto? Agora já sabe como criar um e-commerce, é hora de divulgar o seu negócio para o resto do mundo!

Estudo tudo o que você puder sobre marketing digital e use a Internet como sua parceira de negócios.

Crie um plano de divulgação e use todas as ferramentas gratuitas disponíveis para alcançam grande público.

Quer uma lista de informações para pesquisar? Vamos lá:

  • Marketing digital
  • Otimização SEO
  • Marketing nas mídias sociais
  • Google Analytics
  • E-mail marketing
  • Marketing de influência

Com estudado isso e você vai ver como vai atrair um grande público para o seu negócio.

Não existe um negócio “perfeito”, mas um negócio que é encontrado sempre que as pessoas precisam e desejam comprar.

Podemos dizer que no começo tudo vai parecer impossível e muito difícil, mas acredite, com o tempo as coisas podem funcionar e dar muito certo! Boa sorte nessa nova jornada!